terça-feira, 4 de outubro de 2011

Críticas Positivas e a Inexistência da "Bruxaria Tradicional"

Recebemos um recado de um leitor com alguns pontos interessantes sobre as definições apontadas aqui no Conselho de Bruxaria Tradicional, também nos parabenizou pelo ótimo trabalho que fazemos além de fazer as pessoas pensarem, algumas não gostam muito, de refletirem, porém um dos objetivos comuns entre os conselheiros é trazer conceitos e a oportunidade de cada magista obter uma amplitude de visão sobre os cultos praticados na Idade Antiga.

Queremos colocar, antes de qualquer coisa, que não discutimos crenças, portanto não esperem que ficaremos debatendo conceitos em comunidades, nosso tempo como conselheiros se aplica a criação de possibilidades reais de aprendizado, além de nossas atividades como sacerdotes, lideranças em projetos sociais entre outras atividades pessoais.

Com relação ao conceito Bruxaria ser um específico culto de base pré-cristã na Europa, acreditamos que esta informação é de senso comum aos historiadores que lidam em específico com as questões religiosas e mais profundamente com o paganismo. Esta é a visão oficial do CBT e de seus conselheiros e afiliados, contudo devemos deixar claro que estes "Cultos Pré-Cristãos" se restringem em origem ao continente Europeu, e mesmo assim, iremos encontrar outras formas de culto, tal como exemplo os cultos semitas (migratórios), contudo as nossas funções como estudiosos e praticantes sejam, a cada momento, dar mais subsídios para esclarecer o conceito de Bruxaria e a sua ligação com o tradicionalismo. Por estas questões acreditamos que saindo do generalismo encontraremos uma visão muito coerente e determinante de nossos cultos, pois o generalismo só tem nos trazido confusões de crença, ecletismo esotérico e debates sem fundamento que acabam no direito de crença. Nós do CBT buscamos ir além da crença incontestável redigida pela fé, para o comprometimento histórico e fundamentado em origem, em dados que nos tragam respostas não dogmáticas, mas de base esclarecedora acadêmica.

A Bruxaria esta inserida dentro do contexto paganismo, o tradicionalismo que trazemos esta inserido nas questões culturais, folclóricas, de costume, hereditárias, trazidas aos nossos tempos em grande parte por famílias que chamamos de clãs e a união destes é o que chamamos de Bruxaria Tradicional, ou seja, a preservação das Tradições dentro da Bruxaria.

Com relação ao termo witchcraft para Bruxaria Tradicional, devemos entender a origem da palavra e a sua representação no tempo e se acreditamos ser viável trazer o mesmo significado de origem via campanha de esclarecimento; atualmente o termo witchcraft tem nos dado o significado de feitiçaria genérica, pois basta entrar nos mecanismos de busca na internet e observar que o termo "witchcraft" se tornou complementar, tal como: "ordem X de feitiçaria", pois as questões cristãs ou antagônicas ao cristianismo/ judaísmo são atributos que não pertencem a Bruxaria Tradicional, nem do passado e nem do cotidiano.

Sobre a questão do termo "cunning folk/ man" um termo inglês para dizer "homem sábio", nós acreditamos que a sabedoria faz parte dos anseios da humanidade, é um termo genérico, e novamente termos genéricos causam mais confusão do que esclarecimento, temos sim, o homem sábio campesino, mas o nosso foco não é propriamente apenas a sabedoria campesina, mas o conhecimento ancestral antes mesmo das influências cristãs dentro da Europa, até por entendermos que este fenômeno religioso é específico e o que encontraremos em outros continentes é uma influência de migração continental (colonialismo), tal como a visão cristã para qualquer culto que trabalhe com feitiçaria ou até mesmo com sincretismos (Catolicismo influênciando religiões étnicas).

Sobre a tese de Bruxaria Tradicional não existir, colocaremos um ponto de indagação, o fato de não se ter informações sobre o tema facilmente a todos, o problema do desconhecimento, de não estar inserido dentro do contexto, ou seja,  faltar elementos não pode ser base/ referencial para uma colocação de inexistência. Para muitos de nós, que praticamos e recebemos estes conhecimentos, é um caminho muito vivo e presente, não nos chegou por modismo, de livros, veio de uma tradição oral com uma base específica de entendimento sobre as questões da espiritualidade.

Resumindo a questão, a Bruxaria Tradicional esta aberta a peregrinos que possuem olhos e ouvidos perspicazes, para quem entende os seus preceitos, o seu caminho e a peregrinação que ela exige como uma senda.

Esperamos que a leitura de nossos artigos possam trazer sempre a reflexão, que possa dar oportunidade de muitos andarilhos seguirem por um caminho pagão, apreciando as tradições, os mitos, a natureza, os ciclos da vida.

Cordialmente,



2 comentários:

  1. Mesmo ainda não sendo um BT, sempre senti que a Bruxaria Pagã Ancestral não é nem de perto essa mescla que vemos hoje.
    É isso aí mesmo. Sempre informando com esses textos esclarecedores sobre o Caminho Vivo que precisa ser preservado e ao mesmo tempo divulgado mantendo sua perpetuação.
    Os verdadeiros Pagãos encontrarão o seu caminhar.
    Bençãos dos Antigos.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo seu comentário Grego Lupino, acreditamos primeiramente que Bruxaria Tradicional deve ser bruxaria, e a bruxaria é pagã, não cultua o catolicismo por analogia, tal como não cultua deuses africanos ainda mais na sua ligação com o tradicional que é o cuidado de preservação, de continuidade, imaginem uma bruxa francesa cultuando deuses indianos!?! E esta bruxaria sem pé e sem cabeça que na verdade é uma feitiçaria genérica gótica cristã, em nada tem haver com o termo bruxaria como também em nada tem de tradicional. Faremos nossa parte em divulgar o que acreditamos e cada um acredita no que lhe parece plausível!

    ResponderExcluir

Este blog tem conteúdo específico religioso (paganismo tradicionalista), caso não concorde... pelo menos respeite e vá a um blog que se destina a mesma vocação religiosa que acredita.